Resenha: Juntando os Pedaços - Jennifer Niven

novembro 09, 2016 / Francisco Soares Chagas Neto /

Não dá mais para deixar passar, precisamos falar sobre gordofobia, distúrbios que podem nos impedir de reconhecer rostos e outras coisas mais...



Juntando os Pedaços (Holding Up The Universe)
Autor: Jennifer Niven
Editora: Seguinte (Companhia das Letras)
Ano: 2016
Skoob: 4,4 Estrelas / Goodreads: 4,03 Estrelas
Compre Aqui
05 Estrelas

"Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Autora: Jennifer Niven é autora de 6 livros, sendo dois voltados para o público YA. "Por Lugares Incríveis", seu maior sucesso literário terá um filme, com lançamento previsto para 2017. "Juntando os Pedaços" encontra-se na lista dos mais vendidos no New York Times. A autora veio ao Brasil em 2016, para Bienal do livro e aproveitou para passar por três cidades no norte e nordeste do Brasil.



Cerca de 10% da humanidade sofre de obesidade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde - OMS em 1997 eram 500 milhões de obesos, e a partir daquele ano, foi considerada um grande problema de saúde pública, talvez o principal do século XXI. Mas como nós a sociedade vemos esse problema? Como um simples problema de saúde pública? ou como pessoas fora dos padrões estéticos que devem ser rejeitadas? Libby, protagonista de Juntando os Pedaços, é obesa, na verdade ela é a adolescente mais obesa dos Estados Unidos, quer dizer, era. Até o dia que teve que ser retirada pelo Corpo de Bombeiros em um guindaste, para ser levada ao hospital. Mas o que levou a adolescente a esse peso? como as pessoas a viam ou a veem? e como está a sua vida hoje, depois do ocorrido?

Você já ouviu falar em Prosopagnosia? Esse é um distúrbio no cérebro que pode ser adquirido (algum dano cerebral) ou genético e provoca a dificuldade de reconhecimento de rostos. Inclusive o seu. Estima-se que só no Brasil sejam pelo menos de 4 milhões de pessoas que possuem a doença e no mundo 1 em cada 50 pessoas também tenha. Jack, protagonista de Juntando os Pedaços tem Prosopagnosia, e não consegue reconhecer nem o rosto do seu irmão, provocando vários constrangimentos. Mas então como ele pode construir relações com as pessoas se não consegue nem reconhece-las?

As duas histórias se cruzam e chega então a hora de juntar o pedaços desses adolescentes, para que eles deixem de viver pela metade e se tornem completos.



No inicio da história, os dois jovens ainda não se conhecem. Vivem os seus problemas de forma isolada. Libby precisa conviver com sua obesidade, apesar de ter emagrecido bastante, depois que foi retirada por um guindaste de sua casa, ela ainda é obesa, e os olhos dos adolescentes se voltam para o seu tamanho, assim como os xingamentos, e brincadeiras, inclusive o Rodeio de Gordas.

A BRINCADEIRA

Criada pelos amigos de Jack, esse jogo consiste em abraçar forte as meninas obesas do colégio, até que elas possam se soltar. É como se você montasse em um touro mecânico e segurasse forte o maior tempo possível antes de cair. Nitidamente, a brincadeira é extremamente humilhante, mas esses jovens estão se divertindo com isso, e parece que nada pode ser feito a respeito. E agora eles se preparavam para o maior desafio da escola: A ex-mais gorda adolescente dos Estados Unidos. Temendo que seus amigos façam algo pior, Jack a abraça forte, deixando-a muito assustada até que ele leva um soco na cara.

Ambos vão parar na diretoria, e por não se explicarem como deveria, também são punidos com uma detenção após as aulas, e assim eles vão se conhecendo um pouco melhor, dessa vez para Jack será mais fácil reconhecer uma pessoa, já que pelo rosto ele não consegue identificar ninguém, nem a sua própria face ele é capaz de reconhecer.

Ele desconfia que possui prosopagnosia, mas não tem certeza, e tem medo de ir atras de médicos. Porém sofre muito com isso, pois ele precisa arranjar métodos para reconhecer até mesmo o seu irmão, tornando tudo mais difícil a ele, e assim ele vira uma pessoa mais fria, egocêntrica e esnobe, porém somente o leitor sabe o que há por trás de toda essa capa. Até ele abraçar Libby e deixar uma carta a ela, onde ele diz que tem a doença.

No inicio ela possui muita raiva do Jack, do que ele fez, de ligar o gatilho dela sobre os seus medos, de fazê-la ter mais um ataque de pânico, após tudo que já havia acontecido com ela. Porém, depois de ler a carta de Jack, ela começa a ter empatia por ele, e aos poucos os dois começam a conversar sobre os seus problemas e a melhor forma de resolve-los. A partir de agora eles não estão mais sozinhos, tem um ao outro para lutar nessa selva que é o Ensino Médio.



A gordofobia que acontece com Libby é triste, sendo horrível ver como as pessoas podem ser cruéis, e os sentimentos que elas acabam provocando na personagem. Por ter sido obeso em quase toda a minha vida, eu compreendo totalmente esses sentimentos, que ao invés de ajudar, potencializam fazendo com que a pessoa se afogue um pouco mais na única coisa que traz felicidade plena: A comida. E sobre isso só tenho a agradecer a Jennifer, que me representou e muita gente que passou por problemas semelhantes, trazendo a mensagem de que "alguém te ama". As vezes quando somos obeso é difícil de acreditar nisso, mas não impossível.

Além disso, a autora fez uma ótima pesquisa sobre prosopagnosia, mostrando os fatos e sentimentos de pessoas que possuem esse problema, que atinge tanta gente, tenho certeza que esses seres humanos também tiveram os seus problemas bem apresentados nessa história. E mais uma vez agradeço a Jennifer por trazer algo que eu desconhecia completamente, com certeza se conhecer alguém com esse distúrbio, eu entenderei um pouco sobre suas circunstâncias, agindo com um pouco menos de ignorância.

Além desses problemas, esses jovens ainda precisam lidar com alguns problemas um pouco mais comum, como a traição do pai de Jack, e seu câncer; a possível homoafetividade de seu irmão, além dos dilemas e escolhas de Libby ao fazer o teste para ser líder de torcida, ou ainda participar de uma aula de natação com um biquini.

A história, como muitos YA´s tinha tudo para caminhar em um lado mais melancólico, porém a autora escreveu com muito humor, e com palavras que realmente eu não imaginaria ser escrito por ela (não se deixem cair na fofura aparente da autora, ela faz umas brincadeiras bem ácidas). E diferente de "Por Lugares Incríveis", os dois jovens aqui tem muita vontade de viver.

A Capa é minimalista, porém representa muito bem a história, não posso falar muito sobre a diagramação, espaçamento, e erros de tradução, porque lemos uma prova antecipada, e sabemos que algumas alterações foram efetuadas para o resultado final que você pode conferir a partir do dia 17/11 em todas as livrarias do Brasil.



Então:

  • Se você sentia falta de uma protagonista obesa;
  • Quer conhecer um pouco mais sobre prosopagnosia;
  • Amou "Por Lugares Incríveis" e a escrita maravilhosa de Jennifer Niven

Não perca tempo, assim que a história chegar próximo de sua casa, leve-a se apaixone por Libby e Jack, como eu me apaixonei.

Há, e teremos ainda alguns posts especiais sobre esse livro. Então fiquem atentos, porque essa história irá conquistar você.

Observação: Esse livro é uma prova antecipada, fornecida pela Viviane Viegas da Saraiva do Shopping Boulevard Belém para resenha.

Recomendado Para Você

2 comentários

  1. quero muito ler esse livro! adorei o blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clara,

      Obrigado. Acredito que como nós você irá adorar esse livro maravilhoso.

      Abs,

      Excluir

Comente com o Facebook

Instagram